Autor: Diego Guerra
Ano: 2017
Número de páginas: 140
Para comprar entre em contato com o autor:
 diego-guerra95@hotmail.com
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira

Sinopse: A obra poética “O novelo do verbo” é o resultado de uma escrita cotidiana, do viver poetar, dia após dia. Neste livro, Guerra recolhe seus primeiros poemas e apresenta-nos de modo muito agradável um novelo, conflituoso, emaranhado, não de fios, mas de palavras, versos e estrofes, que ganham vida quando são acompanhadas por você, leitor.
Esta coletânea fragmentada em capítulos proporciona uma leitura convidativa para olharmos peculiarmente ao nosso redor. Guerra leva-nos nesse novelo aos principais temas que sempre motivaram a poesia, o amor, a saudade, a natureza, contudo, impulsiona-nos, também, a um universo próximo e ao mesmo tempo invisível aos viciados olhos dos homens.
Ler O novelo do verbo é deixar-se abraçar por uma leitura que incita o leitor, desde as primeiras páginas, a navegar em seus cordões feitos de versos, até esbarrar com a liberdade embaraçada de toda caminhada.

“O maior prazer do escritor é levar o leitor a um mundo único e novo. Levá-lo a vidas nunca antes vividas e a sonhos nunca antes desbravados.”

Resenha: Poesia é um conteúdo criado com o intuito de emocionar o leitor ou ouvinte. Poesias são feitas de sentimentos. Sentimentos do autor enquanto as escreve e também do leitor no momento em lê. Diego Guerra entrega esses sentimentos ao leitor em forma de um livro, “O novelo do verbo” é conjunto de palavras, frases e estrofes feito para emocionar, sensibilizar o leitor.
            Com uma escrita simples Guerra consegue nos cativar desde a nota introdutória, onde procura deixar seu leitor à vontade para descobrir o livro. Não é necessário ler as poesias em uma rigorosa ordem então ele nos convida a saltar páginas, ler o livro da última para a primeira folha além de fazer anotações no livro, enfim, interagir com a história. Isso foi uma coisa que me agradou muito nesse livro, em alguns textos faltam letras ou há um espaço onde você pode preencher com a palavra que mais lhe agradar. Essa possibilidade de brincar com as poesias é super interessante e garante pontos extras ao autor pela criatividade.
            “O novelo do verbo” não trata somente de um assunto, são diversos temas
abordados nas poesias. Diego escreve sobre o amor, mas também faz críticas sociais e professa sua fé de forma sutil e bonita. Há poemas onde fala de namoro, por exemplo, “Receita de Namorados” e outros em que trata das pessoas que sofrem atualmente em nosso país, que é o caso de “Traços da pele vivida”.

“Hoje o sol raia para dias escuros. Ridicularizam a boa educação, de família. Esquecem que o crescimento é parte dos nossos passos. Veneram o valor de cédulas, ignoram as células do corpo que vive, que anda, que sente.”

         
   Particularmente eu gosto de poesias justamente pelo fato de mexer com nossos sentimentos, com nossa imaginação. Gosto de tentar interpretar os textos e imaginar o que o autor estava sentindo e o que o motivou a escrever aquelas palavras. Gosto de me sentir teletransportada para um bosque, para uma festa, para uma cidade distante apenas imaginando as paisagens descritas nessas poesias.
            Experimente desenrolar esse novelo, não de linhas, mas de palavras, frases e até mesmo sentimentos e emoções descritos nesse livro tão lindo.




“Busque por novos sorrisos em seus olhares”




Livro: Ode de Sague
Autor: Nana Garces
Editora: Essência Literária
Ano: 2017
Número de páginas: 63
Onde comprar:  Amazon
Adicione no Skoob
Resenhista: Thaís Dreveck


Sinopse:

    Com quase quatrocentos anos, a Vampira Madalena busca a salvação de sua alma vivendo e trabalhando dentro de um monastério católico. Diferente do que parecia natural, essa vampira está acostumada com a religião e seus símbolos. Foi apenas quando se depara com alguém de fé verdadeira que Madalena sente a maldição de sua raça arder sob a pele.



RESENHA

Capa 5/5
Uma capa com contraste interesse de cores escuras exaltando o vermelho sangue que faz referência ao conteúdo do livro. A imagem de boa resolução e a fonte simples branca dão um charme especial e convidativo


História 3/5

Vamos lá, primeiro devo dizer que não sei se este é exatamente considerado um "livro" ou "conto" não só pela quantidade de páginas mas pelo formato que ele é descrito. Em si ele é uma autobiografia de Madalena, uma vampira de cerca de 400 anos não estereotipada entre o banho de sangue, morte e mais morte, mas alguém que já viu e viveu muito, amante de literatura e música. E por mais diferente que pareça, ela vive em um monastério, sempre em busca de salvação.


A história é contada a partir do encontro de um caçador com a vampira, que decide contar toda sua trajetória para que o homem decida se ela deve viver ou não. Em todo seu relato é visível que ela não é um monstro, mas um ser mais humano que vampiro.

A escrita de Nana é bem construída, transformando Madalena em uma ótima contadora de histórias por sua riqueza em detalhes. O livro/conto foi bem elaborado em si, mas não me prendeu tanto a atenção. Por ser um livro "Sessão da Tarde", o li com facilidade, entretanto não foi tudo o que eu esperava.

E aí? Gostam de uma boa leitura com vampiros? Algum pra me indicar? (menos Crepúsculo - não sou mto fã, ou Diários de Um Vampiro - amo os quatro primeiros livros depois perde a graça)
Sobre a Autora

    Nascida em Florianópolis, Nana Garces vive atualmente numa cidade da Grande Florianópolis chamada Palhoça, onde mora com seu marido e cachorro. É formada em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina. Sempre gostou muito de criaturas fantasiosas, mesmo em suas primeiras leituras Nana já demonstrou interesse pelo mundo sobrenatural. Seu interesse por escrever surgiu nos jogos de RPG e em fanfics quando ainda jovem.  Com o tempo, conheceu autoras como Charlaine Harris e Anne Rice, grandes influências para formar sua escrita. Escrever sempre foi uma diversão, apenas no começo de 2016 que foi desafiada por uma amiga a escrever um conto de suspense e essa experiência a levou a novos caminhos. Hoje ela possui duas publicações na Amazon, um conto (Estoy de Acuerdo - Um atendimento do destino) publicado na antologia Vidas que se Encontram e o e-book Ode de Sangue - Memórias Vampirescas.







Autora: Jussara Souza
Editora: Independente
Ano: 2017
Número de páginas: 199
Onde comprar: Amazon
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira


Sinopse: Divergências de opinião, discussões, DRs (o famoso “Vamos discutir a relação”)... Você também acredita que as diferenças estão acabando com o seu relacionamento? Mas antes de jogar tudo para o alto, já tentou se olhar no espelho? Será que essa insatisfação que está sentindo não vai além do seu parceiro? Parou para se perguntar se faz o que gosta ou tem tempo para si mesmo?
Em “Os Opostos se Distraem”, a autora Jussara Souza relata de maneira divertida como – da tentativa de salvar seu casamento com um marido fazedor de lista de tarefas –, encontrou sentido para a vida com a ajuda do yoga, meditação, alimentação saudável e afirmação positiva. Largou o emprego em um multinacional, mudou os hábitos diários, salvou seu relacionamento e, o mais importante, se deparou com o seu verdadeiro propósito de vida.

“Ele pode até não dizer eu te amo a todo momento, mas faz declarações através dos gestos de carinho diários.”

Resenha: Jussara Souza comenta que não acredita em coincidências, que ‘pessoas e situações não aparecem na nossa vida ao acaso’, eu compartilho da opinião da autora e sei que nossa parceria aconteceu no momento certo, que sua história veio parar em minhas mãos em um momento oportuno, que suas dicas são muito úteis para esse momento que estou vivendo. Estou passando por um período de mudanças em minha vida e várias frases da autora parecem que foram escritas exatamente para mim. Já começo então essa resenha elogiando o trabalho da Jussara e agradecendo a oportunidade de ler seu livro.
           
“Os opostos se distraem” não fala somente do relacionamento entre Jussara e o “Multitarefeiro” (apelido carinhoso que a autora deu ao seu marido), fala também sobre saúde física e mental, alimentação e bem-estar e como esses fatores podem afetar sua relação com o outro e com sua própria vida.
            A autora passou por uma grande mudança, saiu de um emprego estável a fim de “encontrar seu lugar no mundo”, descobrir seu propósito de vida, algo que a faria sentir-se bem, um trabalho que realmente a fizesse sentir prazer e vontade de sempre continuar.
            As divergências entre ela e o marido, as mudanças pelas quais estava passando e a necessidade de buscar algo novo fez o casal encontrar uma nova forma de vida. Em um primeiro momento decidiram fazer uma atividade juntos, dança de salão ou yoga. A primeira opção não deu muito certo e rendeu boas risadas aos dois, então após algumas aulas perceberam que o yoga seria a opção perfeita. O yoga funcionou como um “abrir de portas” para que eles conhecessem outras técnicas saudáveis. Por exemplo, os ritos tibetanos que são um conjunto de exercícios físicos que ajudam a restaurar a vitalidade, energia e juventude da pessoa, a alimentação ayurvedica, que busca por meio da nutrição prevenir ou curar desequilíbrios e doenças e também a meditação.

“Uma vez li a seguinte frase: ‘Eu posso esquecer o que você me disse, mas eu nunca vou me esquecer de como você me fez sentir. ’ As palavras se vão, mas os sentimentos que elas trazem para a outra pessoa podem ficar guardados.” 
            A autora também dá dicas ótimas de outros livros que podem auxiliar nosso crescimento pessoal. No fim de “Os opostos se distraem” Jussara deixa a lista completa dos livros, filmes e vídeos citados por ela no decorrer da sua narrativa, aliás, algo muito útil para que o leitor possa buscar mais conhecimento nas áreas descritas.
            Sinceramente gostei muito do livro, acho que se usadas com paciência e dedicação as dicas da autora podem nos ajudar muito tanto na vida pessoal quanto profissional, mas duas coisas me chamaram muito a atenção e me agradaram nesse livro. Uma delas minha mãe sempre me alertou: o poder do pensamento. Manter o pensamento positivo é algo crucial na nossa vida, manter sempre pensamentos bons irá atrair coisas boas, da mesma forma que o contrário pode atrair coisas ruins e isso é algo muito comentado pela Jussara.

            “Somos um espelho. Se você dá amor, receberá amor, se demonstrar raiva ou rancor, terá de volta os mesmos sentimentos. É difícil aceitar, mas é a pura verdade.”
 
            O segundo fato que me agradou muito foi justamente os livros citados. A autora defende muito a importância da leitura e deixa isso bem claro no livro, achei ótimo.
           
A minha nota para esse livro não poderia ser outra, cinco estrelas merecidas! A simpatia da autora também me deixou impressionada, apesar de termos conversado somente por mensagem achei a Jussara super divertida e animada, espero que possamos nos encontrar aqui em Minas pra bater um papo 😊 Deixo novamente meu muito obrigada a autora pela parceria fechada com o blog, beijos e até a próxima. 💋💗


“Quando começo a desanimar, penso nas palavras de Thomas Edison: ‘A maioria dos que fracassam na vida são pessoas que não perceberam o quão perto do sucesso estavam quando desistiram. ’ A frase do grande inventor me fez persistir, acreditar, mesmo quando tudo parecia dar errado.”



Livro: Anjo Maldito
Autor: Daniel Marx
Editora: Chiado
Ano: 2016
Número de páginas: 332
Onde comprar:  Chiado, Travessa,
Adicione no Skoob
Resenhista: Thaís Dreveck


Sinopse:

     “E disse Deus, haja luz, e houve luz, e viu Deus que tudo que havia feito era bom.E fez o homem e viu que não era bom que o homem vivesse só, e fez para si uma companheira, carne de sua carne e seu nome era Eva...”     A história, porém não foi bem assim, pois Eva não foi a primeira esposa de Adão, a história que os religiosos sempre procuraram omitir da humanidade está a ponto de vir a tona.
     Lilith a primeira humana criada por Deus, mas não da carne de Adão, se revolta e não se submete ao homem e nem ao seu criador, é expulsa do paraíso e promete vingança, foi até o submundo e fez um pacto com o príncipe do inferno, e após milhares de anos ela está pronta para reivindicar o que diz ser seu por direito.
     Lilith se intitula a rainha do mundo e considera todos os homens seus lacaios, e todas as mulheres suas escravas.Um portal está prestes a se abrir e o mundo nunca mais será o mesmo, grandes sinais começam a aparecer em todo o mundo e não seria diferente no Brasil.
     Uma sociedade secreta trabalha para abrir o caminho entre o mundo paralelo e o nosso. São portadores de grandes segredos: uma estrela, cinco pontas, cinco almas, cinco templos, cinco religiões, cinco mortes. Para que essas mortes aconteçam, e se cumpra a profecia, muitas outras vidas serão perdidas.Outra mulher com um dom especial trabalhará para evitar que o mundo pereça na escuridão. Elisabeth, uma detetive do departamento de polícia civil de São Paulo empenha todos os seus esforços para deter os assassinatos, porém não imagina o que está por vir, ela pensou que estava a procura de mais um assassino serial, quando na verdade estava diante de um grande e maligno poder obscuro e caberá a ela deter este ser que está prestes a escravizar a humanidade.



RESENHA

Capa 4/5
O desenho e a paisagem são bonitos, os pequenos detalhes em meio a paisagem escura dão um charme especial. É convidativa, mas a resolução da imagem inteira não é tão boa, isso foi o que não me agradou.


História 3/5
Confesso que não foi uma história que prendeu minha atenção. Eu decididamente quase desisti da leitura. Quando li a sinopse fiquei super animada, mas na metade do livro já estava decepcionada e cansada.

É uma ficção policial, gênero que sou completamente apaixonada. Conhecemos a detetive da polícia civil de SP Elizabeth, e seu parceiro Lucas, que se veem diante de um grande e macabro assassinato e tem de descobrir o que está por trás de tal maldade. Também há o personagem Eric, um fotógrafo que faz tudo para ganhar dinheiro, se colocando em enrascadas atrás da foto perfeita sobre os crimes. 

A leitura, pelo menos para mim, não fluiu muito bem, mas isso vai de acordo com cada leitor, a escrita é leve mas meu compreendimento sobre a obra foi raso. Principalmente ao tentar entender a sociedade secreta que está a realizar rituais satânicos que tem como objetivo trazer Lilith (a provável primeira esposa de Adão, que se rebelou contra a submissão e fez um pacto com Lúcifer) de volta a Terra.

Gostei do estilo e da quantidade de detalhes que o autor dá ao longo de cada cena. A forma como ele propõe os assassinatos e o estilo em terceira pessoa alternando os personagens, coisa que acho muito legal. Também encontrei pequenos erros que deixaram passar na revisão, mas nada que atrapalhe a leitura.
Sobre o Autor

     Daniel Marx despertou seu interesse por escrever desde muito cedo, ficava horas viajando nas literaturas que lia ainda quando criança, desde fantasias, tramas policias e suspense, sempre teve paixão pela ficção, e foi por esse mundo que decidiu se aventurar. Com formação em artes cênicas, marketing e pós graduado em criação publicitária e planejamento de propaganda, ainda estudou com o renomado cineasta e produtor Walter Webb, começou sua carreira escrevendo textos para teatro, tendo escrito ao longo de sua vida mais de trinta peças teatrais entre comédias e dramas, também escreveu alguns roteiros de curta metragens e um seriado, com sua narrativa dinâmica e personagens empolgantes, despertando curiosidade e prendendo a atenção de quem ler ou assiste suas obras.







Editora: Chiado
Ano: 2016
Número de páginas: 192
Onde comprar: Americanas, Saraiva
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira

Sinopse: É uma linda história de duas mulheres, em dois tempos diferentes, ligadas pelo mesmo destino. Este romance contém esperança, amor, destinos que se cruzam, crimes e renascer.
O autor descreve o sentimento feminino com muita poesia, sem esquecer que a busca de um ideal e o entendimento das razões de transformações na vida dos personagens, sempre através do sofrimento pode ser algo proveitoso e profundo.

“Uma história de amor realmente verdadeira é capaz de parar as maiores guerras.”

Resenha: “Duas vidas Um destino” narra a história de duas protagonistas vivendo em épocas diferentes. Mya mora nos Estados Unidos no tempo atual. Ela tem por volta de trinta anos e está noiva de Armand. Ambos são policiais e trabalham juntos, mas Mya não vê o noivo como o grande amor da sua vida. Seu passado não foi bem resolvido e ela ainda sente algo por Toby seu ex.
            A segunda protagonista dessa história é Anne. Com seus vinte e cinco anos, ela trabalha como professora e mora em um pequeno vilarejo chamado Rochville, na Inglaterra. O ano em questão é 1899.
            Mya e Anne são parecidas fisicamente, ambas possuem traços orientais, mas em um primeiro momento não conseguimos definir os motivos que ligam essas duas mulheres vivendo em épocas tão distintas. Durante a leitura imaginei teorias dos motivos dessa ligação, mas o mesmo é revelado no fim da história e confesso que o fato citado para mim foi de grande surpresa. Depois de descoberta a ligação entre Mya e Anne senti vontade de reler o livro para com essa informação analisar todos os acontecimentos de uma ótica diferente e pretendo fazer isso em breve.
           

O primeiro capítulo “Dias atuais diante da adaga” nos apresenta uma cena com Mya dentro de uma sala usada para meditação, mas ela não está somente meditando, é uma cerimônia oriental de auto-sacrifício. Na noite em questão Mya retira sua própria vida e os eventos seguintes narrados no livro levam o leitor a descobrir os motivos dessa atitude da protagonista.

“No quarto, ela volta para cama e novamente cai em lágrimas. Pensa que sua felicidade está do lado de fora, embaixo de chuva e indo embora.”

            Em uma manhã num passado um pouco distante Anne esbarra por acidente em um homem que acaba de chegar ao vilarejo em que ela mora. Alguns dias depois ela descobre que o homem em questão é Eduard, o novo padre de Rochville. A paixão entre os dois acontece de modo rápido e é inegável a necessidade que ambos sentem da companhia um do outro. Porém, vivem um dilema, Eduard deve escolher entre o sacerdócio ou o casamento e, além disso, outro obstáculo surge: o pai de Anne arranja um noivo para a filha. No ano em questão o pai escolhe o melhor pretendente para a filha e ela deve aceitá-lo sem questionamentos.
            Sinceramente a história que mais me agradou foi a de Anne, o romance entre ela e Eduard aparentemente é algo impossível e eles literalmente lutam contra tudo e todos em prol desse amor. O fim da história deles é algo tocante e me fez ficar com lágrimas nos olhos.
            Com relação ao romance de Mya, fiquei curiosa para descobrir sobre o passado entre ela e Toby. Queria entender os motivos que fizeram eles se separarem e Armand entrar na vida da protagonista. Tenho algumas ideias do porquê dessa separação, mas gostaria de saber mais a respeito.

“Siga seu coração e ele te trará as respostas.”

            “Duas vidas Um destino” é uma leitura fácil e rápida. Concluí o livro em algumas horas. É uma história com bastante romance, dramas e conflitos, faz o leitor refletir a respeito de suas escolhas para a vida.
Se você procura uma história onde os casais separados pelo destino passam por angustias e provações a fim de viverem o amor que sentem um pelo outro esse é o livro perfeito! Recomendo a leitura e classifico a história com cinco estrelas.
Termino essa resenha agradecendo mais uma vez ao autor Igor Ruginski pela parceria fechada com o Palavras Imaginárias. Obrigada pelo carinho e confiança!


            “Certas respostas não são obtidas na procura, mas sim pelos caminhos e consequências de nossas escolhas.”




Autor: Jean Gabriel Álamo
Editora: Independente
Ano: 2017
Número de páginas: 236
Onde comprar: Ebook
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira

Sinopse: No ano de 2257, a humanidade alcançou a singularidade tecnológica, sendo governada pelo autointitulado Suserano, um cientista que, em nome de um ideal utópico, realizou upload de sua consciência para a Internet pouco antes de morrer.
Após uma chacina provocada por robôs policiais num albergue na Cidade 1223, a repórter Diana mergulha numa investigação com raízes nas mais profundas estruturas de poder do Governo. Para isso, ela se aliará ao seu novo namorado, Pietro; Quorra, sua irmã, que faz parte de um grupo hacktivista; Carlos, líder de um grupo revolucionário batizado de MK Ultra, que busca se manter financeiramente traficando softwares de ondas binaurais; e SME-4, um sintozoide experimental fugitivo.
Ao mesmo tempo, ela e seus aliados se verão perseguidos pelo Detetive Edson, um implacável androide que fará de tudo para proteger o Governo e a paz social.

- Por que me ajudou?- Porque não existe Salvação que não seja por meio da caridade.- Bonita filosofia. Espero ter meios para recompensar o senhor.- Se eu esperasse por recompensa ou reconhecimento, não seria caridade.

Resenha: “Poder Absoluto” é uma ficção científica escrita pelo nosso parceiro Jean Gabriel Álamo. A história se passa no futuro, ano 2257. As pessoas dividem espaço com robôs e alta tecnologia, muitas vezes sendo substituídos pelas máquinas. As cidades são identificadas por números e os cidadãos não possuem mais sobrenome, o governo autoritário prega que todas as pessoas devem viver em igualdade, portanto, ganham o mesmo salário, recebem a mesma quantidade de comida, enfim, são “todos iguais”. Esse governo se autointitula Suserano, que um dia foi Erick, um cientista que fez o upload de sua consciência para a Internet.

“O salário ao redor de todo o planeta era de mil créditos. Todas as propriedades eram estatais. Um Governo Absoluto, onipresente.

            No início do livro conhecemos Pietro, ele mora sozinho em um apartamento cheio de computadores na cidade 1223, trabalha em uma fábrica e sempre está junto de seu amigo Darcy. O amigo empresta a Pietro os óculos LIRVA, Lentes de Inclusão à Realidade Virtual e Aumentada, que possibilita a ele acesso ao “Horizon” uma realidade virtual onde somente os usuários do LIRVA-5 eram capazes de entrar. Nessa realidade ele conhece e se apaixona imediatamente por Diana, mesmo não conhecendo ela na vida real. A moça trabalha como repórter no Menestrel, jornal onde só podem ser divulgadas notícias favoráveis ao governo do Suserano. Além de seu chefe, ela é a única humana que trabalha nesse jornal, todos os outros cargos são preenchidos por andróides.
            Nessa sociedade existem alguns grupos rebeldes que vão contra os ideias do governo, um deles o MK Ultra, é liderado por Carlos, traficante de drogas que recebe informações de Diana com a finalidade de revelar as farsas do governo. Outra aliada de Carlos é Quorra, irmã caçula de Diana e mestre em hackear computadores. Após uma chacina provocada por robôs na cidade 1223, Pietro e sua namorada Diana se vêem envolvidos em uma operação do MK Ultra contra o Suserano e isso revela uma série de mentiras e corrupção envolvendo pessoas em cargos de autoridade.

- Não ensinaram isso na escola?- É óbvio que não!- Bom, não é interesse do Suserano desenvolver a inteligência de seus súditos – disse Carlos com um sorriso. – Ou seríamos todos rebeldes.”

            O livro contém diversos termos científicos que são importantes para o entendimento da história, o autor teve o cuidado de colocar notas explicativas para situar o leitor e pela forma como ele escreveu é visível que domina o assunto. A narrativa é feita em terceira pessoa, mas o interessante é que cada capítulo foca nos acontecimentos da vida de um determinado personagem então temos uma visão geral do que está acontecendo com todos.
            Depois que Pietro e Diana se envolvem realmente com o MK Ultra a vida deles passa por uma reviravolta e todos os fatos seguintes deixam o leitor preso na história ansiando por descobrir o desfecho da mesma. O final me surpreendeu e me agradou muito, posso dizer que foi épico a forma como tudo aconteceu.
            “Poder Absoluto” faz várias críticas à sociedade e serve como alerta para os leitores. Da mesma forma que temos os personagens lutando contra a opressão exercida pelo governo também há os que o defendem de forma cega e veemente, por exemplo, o agente de polícia Edson, ele é um andróide programado para não questionar o governo apesar de ver todas as coisas erradas acontecendo.

“Edson era parte desse Governo, e cabia a ele proteger a sociedade de elementos subversivos.”


            Classifiquei esse livro com cinco estrelas merecidas pela forma como a história me prendeu, me fez refletir e me proporcionou momentos de descontração, recomendo muito esse livro.
             Acompanhe o autor pelo Instagram: @jeangabrielalamo
            Conheça outros livros dele na Amazon:






 



Autor: Diego Guerra
Editora: Independente
Ano: 2015
Número de páginas: 40
Nota: ⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ana Júlia

 Sinopse: É na Vila do Almirante, no dia 1º de Maio de 1981, que Carolina escreve a primeira carta a sua amada: "Querida Dança". Neste romance epistolar, Diego Guerra escreve a doce história de uma mulher, amante da dança, que por tamanho amor, personifica-a, e endereça a ela diversas cartas, como fonte de único auxílio e socorro em meio ao ambiente conturbado em que vive. Diante ao desemprego de seu paí e as necessidades da família, a dançarina se vê a sacrificar o grande sonho que vive para atender as carências de seus pais. Com toques leves e precisos como passos de ballet, Carolina consegue seduzir o leitor e levá-lo a viver esse mundo em sua narrativa.

"Não consigo encontrar em outro lugar tamanho prazer que você me traz, mesmo procurando nos estudos, garotos, até em animais de estimação. Nenhum deles me toca dessa forma. Acredito ter nascido para você."

 Resenha:  Carolina é uma moça de 18 anos que dança desde muito nova e nutre um amor intenso pela dança. Sua família, bem simples é sustentada pelo pai que trabalha em uma fábrica, mas, que devido à crise foi dispensado do emprego, fazendo com que Carolina, tenha que abandonar sua grande paixão para ajudar no sustento da casa.
     A história tem um caráter epistolar, pois, é narrada através de cartas que Carolina escreve para a própria dança, sua amiga íntima.
     Esse é um conto para você ler sentado na poltrona em uma tarde tranquila tomando sua bebida favorita e refletindo sobres seus sonhos.
     O que mais me chamou atenção na história  e o principal tema deste foi a relação da menina com a dança, esta é tratada como uma um ser vivo, uma amiga próxima, e através das cartas enviadas Carolina desabafa sobre seus sonhos, medos e tristezas.
     Eu, particularmente, gostaria que tivesse mil páginas, para que eu pudesse ler em muito mais tempo, mas como é um conto a história é bem curta e concisa e o autor cumpre bem o papel do gênero.
Conheça um pouco sobre o autor:

Diego Guerra, quem assina seus trabalhos por GUERRA, nasceu em 1995, natural de Ribeirão Preto – SP. Atualmente, vive em São José do Rio Preto – SP, onde cursa Licenciatura em Letras, pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP, com habilitação em Língua Portuguesa e Inglesa, e desenvolve sua pesquisa na área da Literatura Brasileira.
Recentemente o nosso parceiro Diego Guerra lançou um livro de poesias “O novelo do verbo”, logo mais terá resenha dele aqui no blog. Confira a sinopse:
A obra poética “O novelo do verbo” é o resultado de uma escrita cotidiana, do viver poetar, dia após dia. Neste livro, Guerra recolhe seus primeiros poemas e apresenta-nos de modo muito agradável um novelo, conflituoso, emaranhado, não de fios, mas de palavras, versos e estrofes, que ganham vida quando são acompanhadas por você, leitor.
Esta coletânea fragmentada em capítulos proporciona uma leitura convidativa para olharmos peculiarmente ao nosso redor. Guerra leva-nos nesse novelo aos principais temas que sempre motivaram a poesia, o amor, a saudade, a natureza, contudo, impulsiona-nos, também, a um universo próximo e ao mesmo tempo invisível aos viciados olhos dos homens.
Ler O novelo do verbo é deixar-se abraçar por uma leitura que incita o leitor, desde as primeiras páginas, a navegar em seus cordões feitos de versos, até esbarrar com a liberdade embaraçada de toda caminhada.




Autora: Rossana Cantarelli Almeida
Editora: Multifoco
Ano: 2016
Número de páginas: 346
Onde comprar: Ebook Livro físico
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira


Sinopse: Isabela Alencar é uma mulher jovem, independente e apaixonada por música. Na adolescência, seu irmão mais velho lhe apresentou às bandas de heavy metal. Após conhecer a banda Dawn Sunless e ser capturada pelo som da guitarra, decidiu estudar o instrumento.
Já adulta, morando no Rio de Janeiro e trabalhando na Assessora Jurídica da Marinha, vê sua vida ser marcada por uma tragédia. Decide, então, largar a carreira jurídica e dedicar-se à docência numa faculdade de música do Rio.
A partir daí, sempre apoiada pelos amigos Mila e Frederico, Isabela verá sua vida mudar completamente, com a aceitação da Dawn Sunless para sua pesquisa de doutorado.
Ela embarca para Nova Iorque para passar três meses no estúdio com a banda. Chegando lá, conhece pessoalmente seu ídolo, o guitarrista Luc Bellucce.
Com sinais sutis, tem início um despertar de sentimentos provocados por sensações intensas. Uma paixão que ela jamais pensou em viver novamente.

“Só não se esqueça de se divertir também. A vida é só uma e passa muito rápido.”

Resenha: Participei de um booktour feito pela Rossana e fui a terceira a receber “Apenas Respire”. Antes de iniciar a leitura já havia ouvido comentários sobre o livro bem extremados, então não sabia o que esperar, deixei que a história me surpreendesse e foi exatamente isso que aconteceu, fui encantada por esse livro.
           

       A protagonista é Isabela Machado Alencar, tem trinta e um anos, é professora universitária e doutoranda em música. Isabela é formada em duas faculdades, Direito e Música. A primeira faculdade foi um pedido de seus pais que diziam que ela não conseguiria se sustentar somente com a música. Isabela exerceu a profissão de advogada por alguns anos, mas após acontecimentos difíceis em sua vida mudou de profissão e se dedicou somente a dar aulas e produzir bandas e cantores (as).
            O livro começa com Isa recebendo um e-mail confirmando que ela será aceita para fazer sua tese de doutorado com a “Dawn Sunless” sua banda preferida desde a infância. Ela terá três meses em Nova Iorque para trabalhar no estúdio de gravações da Dawn Sunless e investigar as mudanças que poderiam ocorrer na sonoridade da banda com a troca recente do baterista, além de poder ficar bem perto de seu maior ídolo, o guitarrista Luc Bellucce. Ela só não imagina que essa aproximação poderá mudar de forma bastante radical sua vida.

“Os sentimentos mais verdadeiros não são descritos por palavras, mas pelo olhar.”

            Isabela é uma mulher forte e determinada, durante o livro percebemos algumas mudanças na forma como ela resolve as situações da sua vida. Em alguns momentos minha vontade era de poder entrar na história para dar um abraço nela, em outros senti vontade de segurá-la pelos ombros dar uma bela chacoalhada e dizer “não acredito que você vai fazer isso” kkk. Para quem gosta de fortes emoções durante a leitura “Apenas Respire” é perfeito.
            Todos os personagens secundários são muito bem construídos. Gostei especialmente de dois, o Frederico, melhor amigo de Isabela e de um personagem chamado Jean que o leitor conhece no decorrer da história e não posso contar qual o papel dele, pois seria spoiler. A Isabela, Frederico e Mila são amigos e confidentes inseparáveis, sempre dizem a verdade um ao outro e gostei muito dos comentários do Fred, ele é super divertido.
            A música é um tema presente em todo o livro, são citados trechos e títulos de diversas canções, tanto do rock nacional quanto internacional. A Isabela toca guitarra e é seu instrumento preferido. Sempre gostei de guitarra e a leitura me fez sentir vontade de aprender a tocar.
            “Apenas Respire” é um livro muito bem escrito. Com doses de romance, episódios que nos fazem rir e outros que nos dão vontade de chorar, consegue cativar o leitor e nos fazer “devorar” as páginas a fim de descobrir o final que, aliás, foi surpreendente! Mais um livro nacional ótimo que vale a pena conhecer.

“Na real, ninguém tem domínio sobre a vida. Somos jogados nesse mundo como se fosse uma arena. Os problemas vêm e ficamos digladiando com eles até um vencer. E eles nos vencem muitas vezes. Quando isso acontece, só temos uma opção: sacudir a poeira e partir para a próxima batalha.”