Autora: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Ano: 2014
Número de páginas: 208
Nota: ✩✩✩✩✩
Resenhista:  Ariela Oliveira


Sinopse: O livro conta a história de Auggie, um menino que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial. Em um manifesto em favor da gentileza, ele enfrenta uma missão nada fácil quando começa a frequentar a escola pela primeira vez: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.”

Resenha: August Pullman é um garoto de dez anos de idade que mora com os pais Isabel e Nate, com sua irmã Olívia, mais conhecida como Via e sua fiel cachorrinha Daisy. Auggie nasceu com uma síndrome rara que provoca deformação facial e nunca freqüentou a escola até então. Com apenas dez anos ele já havia sido submetido a vinte e sete cirurgias e por esse motivo suas aulas aconteciam em casa e eram ministradas por sua mãe, até que Isabel decide que é hora de Auggie freqüentar aulas em uma escola como as outras crianças.
  
   Iniciamos a história conhecendo Auggie e seus anseios e medos a respeito da Beecher Prep, escola onde irá estudar. Ele se sente um garoto normal com sonhos e desejos como qualquer outro, porém, sabe que será difícil lidar com as outras crianças na escola, pois já passou por situações difíceis de preconceito apesar da pouca idade.


“Já estive em parquinhos suficientes para saber que as crianças podem ser cruéis.”

            Auggie é um menino doce, sensível, engraçado, muito inteligente e fã de carteirinha de Star Wars. Ele tem uma relação ótima com seus pais e sua irmã. Isabel e Nate se mostram pais superprotetores no início da história, indecisos se é uma boa ideia mandar Auggie para escola e preocupados com a forma como ele será tratado, mas isso mostra o quanto eles o amam e temos provas disso no decorrer do livro.

“- Eu é que agradeço, Auggie – respondeu ela.- Pelo quê?- Por tudo o que nos deu. Por entrar nas nossas vidas. Por ser você. [...] Você é mesmo extraordinário, Auggie. Você é extraordinário.”

        Via constantemente cuidou do irmão mais novo e ficou sempre ao seu lado, abdicando de algumas coisas pelo bem estar de Auggie. Ela está na adolescência, passando por mudanças e dificuldades e o trecho da história narrado por ela foi um dos que mais gostei.

“Eu vi August depois das cirurgias: seu rostinho inchado e enfaixado, seu corpinho cheio de cateteres e tubos para mantê-lo vivo. Depois que você vê alguém passando por isso, parece loucura reclamar por não ter ganhado o brinquedo que pediu ou porque sua mãe perdeu a peça da escola.”

O livro é narrado em primeira pessoa e dividido em oito partes. Em três partes temos a visão de August, nas outras, temos relatos de pessoas que convivem com ele, Via; Summer e Jack seus melhores amigos; Justin, namorado de Via e Miranda melhor amiga de Via e de Auggie desde a infância. Todos esses personagens são muito bem construídos e a autora conseguiu “dar voz” a cada um deles. Todos os narradores são diferentes entre si, realmente conseguimos captar os sentimentos de cada um pela forma como descrevem os fatos. Essa divisão do livro com mais de um narrador-personagem torna a leitura rápida e instigante.
            “Extraordinário” é um livro que veio para quebrar preconceitos. Ele trata de superação e aceitação. Podemos trazer esse ensinamento de “aceitação” para a vida real, muitas pessoas magras, gordas, tímidas, entre outros não se aceitam da forma que são e muitas vezes sofrem preconceitos como August sofreu, um personagem como ele serve para nos mostrar como devemos manter o bom humor, o otimismo e sempre seguir em frente apesar de todas as dificuldades.

“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo. – Auggie.”



Deixe um comentário