Autora: Monica Dombroski.
 Editora: Chiado.
 Número de páginas: 302.
 Ano: 2016.
 Gênero: Ficção.
 Resenhista: Miro.
 Nota:

                 

Sinopse:
 
Alicia, Clara e Amanda são três adolescentes que vivem em uma pequena cidade do interior e compartilham uma vida de tédio e poucas perspectivas de futuro.
Elas acreditam que os responsáveis pela vida ruim que levam são as pessoas com quem convivem e, aos poucos, a ideia de eliminar algumas pessoas vai amadurecendo até desencadear uma série de mortes e revelações, trazendo um esclarecimento sobre quem realmente é o responsável pela vida de cada uma.

Resenha:
 
Verdade seja dita, a gente não escolhe a vida e nem os problemas que teremos. Nunca acontece do jeito que almejamos, a vida é imprevisível. Cabe a você saber lidar com a vida, com as escolhas e as circunstâncias. 
 Em "Eles Precisam Morrer" vamos conhecer três garotas: Alicia, Amanda e Clara que de amigas não tem nada, elas simplesmente se suportam, se toleram, não existe amizade, admiração e nem simpatia entre elas.. E isso porque o que elas tem em comum (além de morar em Fortana, uma cidade do interior) é a vida tediosa e patética que elas tem. São próximas por um sentimento comum, o ódio, ódio pelas pessoas que deveriam ser um porto seguro. Elas os culpam por tudo de negativo que existe em suas vidas pacatas.
 Alicia ver seu sonho desmoronando quando completa 18 anos e se decepciona ao acreditar que ganhará sua tão sonhada liberdade. - E na prática sabemos que não acontece assim - . Ela nutre um ódio colossal por seus pais, da cidade e da vida que tem. Sonha em sair de lá, viver em um lugar melhor e ter a liberdade de fazer o que quiser.
 Amanda foi abandonada pelos pais ainda criança e nunca os conheceu. Mora com sua avó Edna que só sabe infernizar sua vida, parece que ela tem prazer em ver a garota sofrer fazendo ela de escrava. Edna é uma mulher amargurada e que desconta na neta o que a filha um dia lhe fez. Amanda queria que o trabalho não acabasse, que os momentos que passa fora de casa congelassem o tempo para não ter o desprazer de voltar pra casa.  
 Clara tem uma mãe que não a enxerga, mesmo que morem na mesma casa, nunca se veem. Clara tem problemas de autoestima, é a imagem de uma plus size que não se aceita, tem muitas acnes no rosto, se auto-mutila, mas não tem coragem de cometer suicídio. Pra piorar tudo tem um pestinha chamado Vinícius que à agride praticando bullying, ele faz coisas horríveis com ela e ela nada pode fazer. Ela só queria não acordar, não sofrer mais..
 Juntas as três vão se envolver em mortes que não queriam - ou talvez sim, talvez elas queiram - , elas são confusas. Mortes começam a acontecer, acreditam que essa é a solução, que com esse fato seus problemas estão resolvidos, que elas terão a liberdade e tranquilidade que tanto almejam. Mas não é bem assim... Duas delas ficam muito perturbadas, não sabem o que fazer, uma está a beira de pirar, a outra já pirou.  Suas vidas só parecem piorar cada vez mais. Será que o ódio que sentimos pelas pessoas/por alguém é realmente capaz de mostrar quem verdadeiramente somos? Do que somos capaz de fazer?

                Não há nada pior para um covarde do que ser livre.


O que eu Achei

 Não sou de ler Ebook, esse é o quarto livro que leio. No começo eu engatei para pegar o ritmo, não sei se por eu não gostar de ebook mesmo ou por que o livro é arrastado no começo, acredito que os dois. Mas depois peguei firme nele, a leitura é muito boa e rápida.
 Eu realmente não sei dizer se gostei ou não do livro. Personagens água com açúcar, não me envolvi com nenhum, não tive nenhum laço por eles, o único personagem que gostei foi Luiz, que é um personagem secundário, ex-namorado de Alicia. A trama é legal, os personagens não. Ele é divido em 6 partes, a primeira é arrastada porque é só drama e mais drama. As garotas são confusas, uma hora você entendia elas, outra não. Depois a leitura avança muito bem, você fica querendo saber como vai terminar. As cenas das mortes que acontecem me fizeram arregalar os olhos. Hahahahahahaha
 A relação das três é super estranha, todas indiferentes ao sofrimentos uma das outras (as pessoas da cidade muito mais), todas com humor negro. Uma coisa que adorei foi nos momentos que as personagens entravam em transe e se imagivam matando alguém. Eu super gostei pois fluiu muito bem a narrativa, foi naturalmente me envolvendo como se eu estive lá pensando junto (não sei se deu pra entender direito hahahahaha). O final foi CARALEOOOOO... Com uma revelação que ninguém imaginava sobre um personagem. Achei uma coisa para o final mas foi outra totalmente imprevisível e fiquei surpreso. Não sei ao certo se eles precisavam morrer, mas...


Obrigada pela visita!


Deixe um comentário